Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2015

Tristeza

Hoje é daqueles dias, e acreditem que infelizmente são imensos, em que a tristeza toma conta de mim! Daqueles dias em que fico o dia fechada em casa, deitada na cama a dormir, a única forma de esquecer o que dói e preocupa, de me alienar da vida, ainda que de uma forma "saudável". Uma vez que alimenta a apatia e a depressão não é propriamente "saudável", mas pelo menos não é um vício dispendioso!! Contudo, tal como todos os "vícios" tem o seu revés, o outro lado da moeda: mais um dia perdido e o sentimento de inutilidade quando chega a noite. Mais um dia em que fugi à realidade, em que baixei os braços e parei de lutar! Mais um dia de fraqueza e de desânimo! Mais um dia perdido, 24h de vida desperdiçada e sabemos lá quantos mais terei pela frente e se mais tarde me irei arrepender deste tempo mal empregue. Actualmente já me arrependo de tantos anos deitados ao lixo, então porque o continuo a cometer os mesmos erros? Porque parece ser o caminho mais fácil?…

Desabafo!

Há dias que ando a precisar de escrever e desabafar um pouquinho sobre o que se tem passado no apartamento ao lado e daquela tristeza que se tem feito sentir em mim deste então. O casal que habita ao meu lado é bastante novo, devem andar ambos na casa dos vinte e poucos anos e têm uma filha recém nascida, há menos de um mês. Assim suponho pois só há cerca de 2 a 3 semanas é que passei a escutar o choro da bebé dia e noite. É deveras uma bebé difícil, extremamente chorona e o casal demasiado jovem e muitas vezes sem paciência para estar abraços com um bebé que tanto chora. Por vezes, nota-se a sua impaciência e imaturidade para cuidar de um bebé, especialmente o pai que sem saber como a acalmar lhe berra ou profere tais expressões: "Ai, o caralho! Foda-se!", "Cala-te!". Ouvir um pai dizer isto, até me faz doer o coração, é imaturo, irresponsável e não me parece que estivesse preparado para a paternidade e tudo o que ela envolve, E eu, do outro lado da parede, no meu …

Quando o medo nos aprisiona

Quantas e quantas vezes já tentei mudar a minha vida? Foram tantas que se tornou impossível contá-las. Ao iniciar cada novo ano, os desejos são repetidos vezes sem conta e mantém-se inalteravelmente os mesmos de há 10 anos para cá, ou talvez um pouco mais. Pouco tem mudado, as alterações são ínfimas e não sem onde mais hei-de ir buscar as forças para fazer as tão desejadas mudanças. Os motivos, os objectivos existem, porque não consigo lutar por eles?! Porque não consigo vestir a armadura e ir à luta, de mangas arregaçadas e pronta para derrubar todos os obstáculos que forem surgindo?  Porquê? Porque o medo consome-me, aprisiona-me e é, sem dúvida alguma, o meu maior inimigo! O medo de falhar, de não conseguir atingir o tal objectivo, imobiliza-me, prende-me com amarras de uma resistência irreal, que me sinto impotente para as quebrar. Desisto pouco antes de começar a luta, desisto por medo, simplesmente desisto de lutar pelos meus sonhos. Quero tanto mudar isto, esta atitude derrotist…

Porque criei este Blog?!

Gostaria de deixar aqui umas palavrinhas a explicar qual a razão de eu ter criado este blogue.

Não foi o primeiro a ser criado, em tempos tive outro no qual escrevia com pouca regularidade e assinando com um pseudónimo. Entretanto, perdi por completo a vergonha e decidi dar a cara! lol Achei que não deveria ter qualquer receio em partilhar um pouco de mim, seja o lado mais agradável como aquele mais taciturno e problemático! Sim, todos temos problemas e eu não seria excepção! O objectivo de dar a conhecer um pouco da minha vida, do que é viver com depressão desde os 20 anos (já vão 15 anos), de ter passado por um período (alguns anos) em que tive e vivi com anorexia, de ainda estar a lutar contra o transtorno obsessivo compulsivo (ainda que hoje esteja muito mais controlado), em suma: do que tem sido sobreviver ao longo dos anos!
Não sou de todo a paciente ideal para qualquer psicoterapeuta ou outro profissional de saúde, sou extremamente teimosa e de ideias fixas, difíceis de serem …

Vamos tentar?!

Há dias em que se torna tão difícil levantar da cama e hoje foi um deles. A apatia e aquela tristeza voltaram e não havia qualquer vontade de sair do calor do nosso porto de abrigo. Lá arranjei as necessárias forças para me reerguer pensando que, se realmente, quero mudar a minha vida e fazer dela algo de muito bom, tenho mesmo de ir à luta e erguer-me por mais fundo que seja o poço em que me encontre. Nada chega até mim se não lutar por isso! Por vezes penso, como seria se tivesse um emprego e horários a cumprir? Das duas uma: ou seria despedida num ápice ou teria ganho as forças necessárias para combater e ultrapassar a depressão, desânimo e tristeza que tantas vezes me assolam. Gostava de acordar com um imenso sorriso nos lábios e poder dizer em alto e bom som: "Obrigada meu Pai por mais um dia, por mais esta oportunidade para ser feliz e lutar pelos meus sonhos!" E se começar a dizê-lo todos os dias? Será que este pensamento positivo resultará aos pouquinhos na tão desej…

Um pequeno e sucinto desabafo!

"Não deixe que nada te desanime, pois até mesmo um pé na bunda te empurra p'ra frente."
Agradeço publicamente e sem qualquer ponta de ironia, todos os pontapés que a vida me tem dado ao longo dos anos! Obrigada a todos os amigos e conhecidos do sexo masculino e feminino que me deram o tal valente pontapé na bunda, que apenas me deu o impulso necessário para ir mais longe e ver um pouco mais além daquilo que está à nossa frente e que nem sempre é evidente. Se dói na altura? Oh, se dói! Mas só me tem feito crescer e... ficar uns passos à vossa frente!:) Sem mais me despeço, sempre com um sorriso nos lábios!
Beijoca boa!