"Tô Nem Aí!"

domingo, fevereiro 07, 2016

Olá a todas as Sonhadoras(es)! 
Espero que estejam bem e preparados para mais uma semaninha de trabalho. Irá certamente correr tudo bem, há que ter fé e esperança no que de bom está para acontecer na vida de cada um de nós!

Hoje optei por escrever um pouco na continuidade do assunto que abordei na última publicação. Não para vos maçar, mas porque na realidade senti necessidade de esclarecer alguns aspectos pendentes.

Aqui vai...

Tenho a plena consciência de que aquilo que aqui escrevo, e que corresponde à realidade daquilo que sinto sem acrescentar ou omitir seja o que for, sem qualquer filtro para suavizar ou colorir  o sentimento e pensamento subjacentes, irá certamente suscitar criticas menos positivas e mais uns quantos juízos de valor a meu respeito.
Mas sabem que mais? Não estou minimamente preocupada com isso, nem com as ilações que possam retirar sobre aquilo que escrevo nem tampouco sobre mim! Como diria a Luka: "Tô Nem Aí!"!
Sabem porquê? Porque tudo aquilo que eu possa dizer, seja no blogue ou na minha vida pessoal, jamais vai agradar a todos. Irei ter sempre quem me apoie, mas também quem me critique e aponte o dedo ou a mão inteira! E sinceramente, NÃO tenho a pretensão de agradar a quem quer que seja, apenas e só, quero estar de bem comigo mesma, de consciência tranquila e em paz com aquilo que fiz e faço no meu dia a dia. Há um ditado popular que diz o seguinte: "Preso por ter cão e preso por não ter". Vou ter sempre quem implique comigo independentemente da decisão ou atitude que tome, por isso é e ser-me-á indiferente desde que eu me sinta bem com a escolha efectuada.

Durante muitos e longos anos, fui maltratada, espezinhada, desprezada por algumas pessoas pelas quais sentia um carinho especial e até considerava amigas(os). Acreditem que não estou a exagerar ou a vitimizar-me, apenas a dar a conhecer o que vivenciei! Humilhei-me ao correr atrás, ao tentar emendar e corrigir a todo custo alguns comportamentos, salvar uma amizade que estava moribunda, mas que era importante para mim, ou pelo menos eu julgava ser! Dei duas, três ou mais oportunidades, pois era isso que gostava que fizessem por mim. Mesmo quando o erro não tinha sido meu, mesmo quando eu era magoada e gozada ia sempre atrás enquanto os outros não faziam o mínimo esforço para querer resolver o problema ou os mal entendidos. Por muitos anos, fui sempre eu a ceder até que um dia cansei e... CANSEI de vez! Disse a mim mesma que o outro lado também tem de ser capaz de engolir o orgulho, de admitir que errou e pedir desculpa, de fazer algo que realmente demonstre que a amizade é importante e significativa para si. Porque na realidade, quando desejamos algo temos de lutar por isso e fazer para que resulte. Não esperar que seja sempre o outro a ceder e a dar o braço a torcer! É que eu já não consigo mais fazê-lo repetitivamente, como se apenas a amizade fosse importante para mim enquanto para o outro "tanto se dava como se deu"!! E para o meu bem estar mental, para que a minha auto estima se mantenha em níveis aceitáveis, não poderei humilhar-me mais!
Não sou santa... de todo que não sou! Se me dão um estalo na face esquerda, vou ceder a direita e ainda oferecer um chicote para levar umas vergastadas?! Uma coisa é ser tolerante e humilde, outra bem diferente, é permitir que me humilhem!

Fico triste, magoada com as discussões e por vezes sou impulsiva na tomada de decisões, tenho consciência disso. Mas também sei que não pode ser sempre o mesmo a ceder e a tentar remendar a situação.

Em jeito final de síntese e tendo em consideração os meus últimos meses: muita coisa mudou, algumas pessoas saíram da minha vida e outras tantas entraram. A porta da minha casa, da minha vida, está sempre aberta. Não obrigo ninguém a permanecer caso não seja essa a sua vontade, como também não permito que fiquem e me magoem. Há pessoas que actualmente fazem parte do meu circulo de amigos que certamente não irão estar daqui por uns tempos. Sei que a sua amizade é "intermitente", têm demonstrado isso ao longo dos anos. Quando estão sozinhas(os) procuram-me, tentam retomar a amizade, aquele porto seguro, mas mal encontrem um companheiro(a) irão desaparecer e deixar de dar noticias durante meses ou até anos. Volta e meia a "coisa" corre mal, separam-se e lá voltam a bater à porta e eu deixo entrar. Por mais uns tempos fazem parte da minha vida até que surge alguém e se esquecem de tudo o resto. Já sei como funcionam, é esse o seu modus operandi, sei com o que posso ou não contar. Em vez de ficar chateada ou revoltada e de lhes fechar com a porta na cara (às vezes até tenho vontade de o fazer), lá volto a oferecer o colo amigo, o carinho, a companhia para superar os maus momentos. E não me arrependo! Porquê? Porque aprendi a relativizar determinadas situações e principalmente a sentir saudades não da pessoa em si, mas dos momentos que passamos juntos. (Não é exactamente a mesma coisa!!) Esses bons momentos valeram e valem a pena, são apenas eles que pretendo guardar e seguir em frente com essas mesmas lembranças. 

Quanto ao restante... Já tenho tantas coisas em que pensar, tantos problemas em mãos para resolver que não posso dar tanta importância a determinadas situações. É ligar o "descomplicómetro" e deixar rolar, permitir que a vida siga o seu rumo. O que tiver de ser, será! O que me está destinado a mim chegará, mais tarde ou mais cedo, com mais ou menos obstáculos ultrapassados! Nesta vida, nada é permanente. Temos de aprender a viver com isso e estar preparados para as mudanças, por mais que elas possam doer, sejam ou não a nosso favor ou tal como desejamos. Tudo tem uma razão de ser! Um pouco mais à frente na nossa caminhada, vamos certamente entender porque se desenrolou desta forma e não de outra. Muito provavelmente por ser o melhor para nós, por termos esta lição para aprender, tirar as devidas conclusões e seguir novo rumo.  

A vida é assim mesmo e o tempo não pára!






After All...












... Life Goes On!










Um enorme beijinho para todos e aproveitem estes próximos dias de folia da melhor forma possível! Divirtam-se! Cada segundo da nossa vida é único e por mais anos que vivamos não se repetirá!!

You Might Also Like

0 comentários

Divulgar Blogs

Bloglovin'

Follow

Pinterest

Tumblr