Escuta o teu coração!

Um enorme OLÁ a todos vocês que têm uma grande paciência para aturarem os meus desabafos! 
Espero que estejam bem, animados e com força para enfrentarem o resto da semana!!

Hoje a partilha será bem mais curtinha que o habitual. Prometo não falhar! :)

Há cerca de 5 anos, ensinaram-me algo que é fundamental aplicarmos na nossa vida e que eu não o fazia de todo. Daí passar a vida infeliz, angustiada, sem esperanças e perspectivas de viver em pleno, de me sentir realizada e preenchida interiormente. O lema, a frase que serve de guia e de motivação é o seguinte: 

"Escuta o teu coração e segue sempre aquilo que ele te diz. Ele jamais te engana!"


A citação na imagem é da autoria de Paulo Coelho

Inicialmente, fiquei com a nítida ideia de que era mais um cliché de um qualquer guru perito na arte dos sentimentos e permaneci um pouco à defesa duvidando do mesmo. No entanto, chegamos a uma fase da vida em que pouco mais temos a perder e resolvemos arriscar, mesmo quando pensamos que vamos dar um salto para o desconhecido e não sabemos muito bem o que encontrar quando lá chegarmos.

Vivi mais de uma década centrada no racional e apenas dava ouvidos à razão. Tomava sempre a decisão que me parecia ser a mais lógica e acertada sempre sem ouvir o que o coração me queria dizer.  Assim sobrevivi durante anos! Viver é outra coisa bem diferente!! Sobrevivi fazendo algo que não me preenchia nem tão pouco me fazia feliz, andava sem ânimo, sem crer num futuro auspicioso, desejando apenas que o dia terminasse e me pudesse deitar de novo e esquecer, deixar de pensar, enfim, apagar durante o sono todo o fluxo de pensamentos. Até que decidi colocar um fim e mudar de rumo. Não foi fácil tomar essa decisão, receava e muito o que poderiam pensar ou dizer sobre a mesma. Ouvi o que não queria de amigos, exclamações e interrogações que tinham tudo para me fazerem desanimar, mas segui em frente. Afinal de contas, tinha o apoio dos meus pais que são as 2 pessoas mais importantes que tenho neste mundo, não tinha o que temer e só me restava arregaçar as mangas e seguir em busca do que desejava.

Se tem sido fácil? Obviamente que se fosse fácil provavelmente não lhe atribuíamos tanto valor, empenho, dedicação. Creio que quando estamos destinados a algo, por vezes, os obstáculos são enormes, acontece sempre algo que nos dificulta a caminhada, mas que nos dá a certeza que se é isso que realmente queremos temos de ir à luta. O caminho é agridoce, mas a chegada irá ter aquele sabor único e indescritível como quando provamos o nosso bolo predilecto. (Neste momento, imagino aquela primeira colherada dada num petit gateau acabadinho de sair do forno com o delicioso chocolate bem fluido a navegar pelas nossas papilas gustativas! E o cheiro maravilho, conseguem imaginar? Até vejo estrelinhas só de pensar no mesmo!!).

Agora devem estar a pensar: "Mas como é que eu vou escutar o que o coração me quer dizer? Como isso é possível?". 
Eis o exercício que é necessário fazer: sentar ou deitar confortavelmente num local calmo como o nosso quarto ou numa praia isolada sem algo que nos distraia, bem perto do mar, sentindo a maresia (as decisões mais importantes que tomei na minha vida foram neste local), num parque junto da natureza, ou qualquer outro que vos traga paz e serenidade. 

Comecem por respirar calma e profundamente, fazendo a respiração abdominal (imaginem um balão dentro do vosso estômago) e inspirem e expirem o mais lentamente possível. 

Inspirar pelo nariz até conseguirem "encher o balão" ao máximo e, de seguida, expirar pela boca e colocar todo o ar para fora.. Tudo isto profunda e lentamente sem mexer os ombros. (Imaginem que estão a inspirar o que desejam ter: serenidade, alegria, e a expirar tudo o que carregam de negativo: a tristeza, raiva, etc.)



Se for necessário coloquem as mãos na região abdominal para sentirem os movimentos ascendente aquando da inspiração e descendente durante a expiração. 


Muitos de nós temos uma respiração superficial  e rápida (hipopneia) que não é de todo a mais adequada. Quando nascemos respiramos correctamente (já repararam num bebé com a sua barriguinha a subir e a descer  enquanto dorme calmamente?), mas com o decorrer dos anos a respiração passa a ser utilizada para controlar as emoções. Às vezes apetece-nos gritar, para descarregar a ira, no entanto, por não ser socialmente aceite controlamos e travamos/seguramos a respiração. Emoções intensas como a ansiedade também alteram o nosso ritmo respiratório tornando-o superficial.

Posto isto, repitam este processo por 10 minutos. Para mim é um tempo aceitável e que me permite relaxar, abstrair e não pensar em mais nada. Este "esvaziar da mente" foi extremamente complicado quando comecei a fazer este tipo de "meditação". Inicialmente, ocorria-me à mente tudo e mais alguma coisa possível e imaginária, o que me faltava fazer, o que tinha de preparar e organizar, esta ou aquela coisa que não lembra a ninguém, a mente é realmente muito traiçoeira e faz-nos viajar para bem longe. Com o tempo aprendemos a controlar o fluxo de pensamentos. Há que praticar e não desistir! 

Há cerca de 2/3 anos tive algumas aulas gratuitas com um monge budista, Bal Krishna, foi uma experiência incrível, que ajudou bastante e tudo isto a custo zero!! Não sei se o espaço em questão - Espaço Paz Pazes (Facebook, Blogue) -  mantém esta meditação gratuita, uma vez que o monge decidiu abrandar o seu ritmo de trabalho e regressou à Serra de Monchique no Algarve onde vive tranquilamente entregue ao Budismo. (Isto sim é qualidade de vida!!).
Caso estejam interessados, é uma questão de se informarem através dos contactos acima referidos. Deixo aqui o link para uma reportagem realizada pela RTP1 sobre o Retiro Espiritual em Monchique. Adorava poder fazer este Retiro que se tem realizado nos últimos dias de cada ano. Vamos ver quando tal será possível. É mais um desejo a concretizar!!

Para finalizar...
Após estes 10 minutos de relaxamento, estamos prontos para "ouvir" o nosso coração. A resposta é-nos dada quando nos questionamos "O que eu realmente QUERO fazer?". Erradamente questionamo-nos da seguinte forma: "O que eu DEVO fazer?" e os deveres são na realidade leis formuladas pela sociedade. Para o coração não existem leis prontas! Somos nós que possuímos a sabedoria necessária para criar a nossa "própria lei" em cada momento da nossa vida.

Convém referir o seguinte: Estamos em constante evolução, tudo é mutável, podemos mudar de ideias quantas vezes for necessário e fazê-lo com tranquilidade, sem nos sentirmos fracos ou incapazes de cumprir com a nossa palavra. O que somos hoje, não é o que fomos ontem, nem o que seremos amanhã! O coração também evolui, é necessário compreender este aspecto e dar a oportunidade a nós mesmos de rever as nossas escolhas, amadurecer sentimentos e ter a força necessária para tomar novas decisões.

Quando agimos de acordo com o coração, fazendo o que realmente desejamos, respeitando-nos e permitindo o nosso crescimento, passamos a ver aquela luzinha brilhante ao fundo do túnel. 
Tentem fazê-lo e não desistam às primeiras tentativas!!

Fica aqui o meu pequeno testemunho, que me ajudou a encontrar uma maior paz interior, o meu rumo/objectivo de vida. Todos nós nascemos com uma missão de vida! Já encontraste a tua?



Respirar é viver! A forma de respirar pode mudar a nossa percepção da vida, é um caminho para o autoconhecimento e a auto-cura.





Ainda não foi desta que dei inicio aos textos mais resumidos e menos maçadores. Um dia eu hei-de conseguir. A sério!! Eu vou continuar a tentar!!! (risos)

Continuação de uma excelente semana de estudo e /ou trabalho!!
Beijinhos para todos e um abraço bem apertado!

You May Also Like

0 comentários