Um Instante

by - janeiro 08, 2017

A vida é tão efémera!
Num piscar de olhos, num mero instante, tudo muda!

Dei por mim a pensar nesta volatilidade que é a vida no inicio desta semana. O que desplotou tal pensamento foi o falecimento de 3 homens que marcaram a vida do nosso país: Dr. Mário Soares, ex-presidente da República portuguesa; Guilherme Pinto, presidente da Câmara Municipal de Matosinhos morreu aos 57 anos com cancro e o Professor Dr. Daniel Serrão, conceituado médico que aliou a ética à medicina de forma fenomenal e foi conselheiro do papa João Paulo II.
O primeiro e o último faleceram já com alguma idade e após complicações provenientes de anteriores lesões. Os 3 tinham uma enorme ânsia de viver, adoravam a vida na sua plenitude, procuravam avidamenente pelo conhecimento, não lhes faltavam projectos idealizados e vontade de os colocarem em prática. Foram lutadores durante toda a sua vida. Batalharam pelos seus ideiais em diferentes áreas, não baixaram os braços perante as adversidades. Lutaram pela vida como verdadeiros guerreiros na frente da batalha, cada um à sua maneira e em campos tão distintos. 


O que mais me chamou a atenção nestas 3 estórias de vida, foi o facto de apesar da idade de uns e da doença prolongada de outro terem-se batido pelos seus projectos até ao fim, até não mais aguentarem o peso da doença prolongada e/ou das complicações resultantes de anteriores acidentes.
Vi estas vidas como antagónicas à minha existência.

Quantas vezes quis desistir da minha? 
Quantas vezes atentei contra a minha existência e tomei doses cavalares e misturas explosivas de medicação? 

Conto 4 tentativas de suicídio, 4 horríveis lavagens ao estômago e uma ligação às maquinas. 
A minha vida esteve literalmente por "um fio"! Mas, não era a minha hora de partir. Vamos lá saber o porquê, mas ainda tinha e tenho muito a aprender. 
Ver que a vida pode desabar num instante e tudo desaparecer, mexeu comigo, fez-me pensar que estava na hora de realmente mudar e fazer algo por mim. Decidi imprimir algumas mudanças, mas as dificuldades implementá-las rapidamente surgiram. Se num dia ou dois consigo cumprir com os objectivos, no dia seguinte desmorono. Acordo extremamente cansada, sem forças, de rastos, como se tivesse o peso do mundo nas minhas costas. Uma tristeza imensa, a qual tenho dificuldade em compreender, pois nem sei bem qual a sua origem. Apesar de todos estes anos de luta, não consigo lidar com a ansiedade, stress, com a pressão e desmorono. Analisando bem, este "desmoronamento" físico e emocional ocorrem não só nestas situações, caso contrário, fora desta época estaria bem, o que nem sempre foi verdade. 
Quando procuro desabafar e me perguntam o porquê de estar assim, muitas vezes não sei explicar a razão deste sentimento. Não tenho tudo aquilo que desejei e sonhei ter com esta idade, estou longe de o ter mas,  tenho outras tantas coisas que e deveriam deixar feliz ainda que não totalmente realizada. Deveria concentrar-me mais nestas últimas, verdade? Fácil, extremamente fácil falar, escrever, aconselhar o outro a fazê-lo; extremamente difícil para mim colocá-lo em prática. 

O meu lado racional e o estudo das ciências exactas durante longos aos, fez-me procucar soluções na ciência mas, os problemas continuam após longos anos de psicoterapia, psiquiatria, de ter experimentado quase todos os medicamentos existentes no mercado para o efeito. Depois de ter tentado meditação, relaxamento, reiki, hipnose, terapia de vidas passadas e sei lá mais o quê! 

Sei que não é fácil entender este estado e que, apenas quem passa pelo mesmo é que sabe o sofrimento que causa. Aprendi ao longo deste tempo que podes ler toda a teoria em livros mas, para compreenderes verdadeiramente o que é viver assim, só no dia em que o sentires na pele. E isso, bem, não o desjo a ninguém! 

Eu quero acreditar que há solução e que hei-de resolver esta situação mas, as alternativas são cada vez menores. 
Talvez tenha andado este tempo todo a negar algo que faz parte de mim, o meu outro lado intuitivo, sensitivo e por esse motivo não sou capaz de sair desta situação. É algo complicado, incompreensível para muitos e não o irei expôr neste espaço, não agora, aliás nem sei se algum dia o irei fazer. 
Chegamos a um ponto em que nos vemos numa encruzilhada. Sabemos o caminho a seguir, o que queremos mas, os obstáculos são tantos e aparecem tão repetitivamente que ficámos exaustos, perdemos a força e a vontade de lutar. Acabamos por ceder e ir pelo caminho mais fácil, ilusoriamente mais simples, que se torna mais à frente num turbilhão de problemas. Ao fugir, apenas adiamos o inevitável! Por vezes, com este acto estamos apenas a aumentar exponencialmente o problema já existente. É ver a pequena bola de neve a aumentar de tamanho à medida que vai descendo a colina! 

Como eu gostava de possuir essa força inabalável, essa garra e determinação que alguns têm e que, apesar de todos os abalos, permanecem firmes na sua luta. 
Como eu gostava de ser assim! 

Até lá, só me resta ir lutando e esperar que o próximo passo que der em frente, não termine com dois passos para trás! 
E... 


Beijinhos e até breve!

You May Also Like

0 comentários