Casos da Vida #1

sexta-feira, julho 07, 2017

O que me traz por cá a estas horas da madrugada é, apenas e só, mais um desabafo. 
Hoje gostaria de partilhar algo que presenciei e me deixou de coração apertado. 


Numa das idas a um estabelecimento comercial aqui da zona (loja de maior dimensão de uma cadeia de hipermercados portuguesa, não divulgo a marca pois não me pagam para isso! 😛), dei de caras com mais um cena daquelas que mexem comigo e me deixam revoltada!

Volta e meia, um senhor costuma estar a pedir "uma moedinha" no parque de estacionamento. Já o "conhecia" de vista de outras circunstâncias. Ao atravessar a Ponte da Arrábida, por vezes, vejo-o a caminhar em ambos os sentidos, no seu passo apressado, gingão e algo desengonçado, falando sozinho ou com alguém que o acompanha e que não é visível ao comum dos mortais, ou então, "conversando apenas com os seus botões". Já me pediu esmola no referido parque de estacionamento e pude perceber que poderá sofrer de alguma perturbação mental ou dependência de álcool ou drogas. Qualquer que seja a sua doença, antes de mais, é um Ser Humano e, como tal, deve ser respeitado e tratado da mesma forma que gostávamos que fizessem connosco, com o mesmo respeito que temos para com o senhor doutor ou engenheiro, a funcionária da loja onde vamos às compras ou o senhor da gasolineira que nos abastece o automóvel. Fui educada desta forma e este é um dos valores que não abdico: Respeitar todo o Ser sem olhar à sua classe social, etnia, idade, sexo ou género!
"Uma alma sem respeito é uma morada em ruínas. Deve ser demolida para construir uma nova."
(Código Samurai)
Este senhor aproximou-se de um outro que se encontrava junto do seu automóvel e pediu uma esmola. Foi tratado de forma hedionda! Há animais de rua que são melhor tratados e cuidados por quem os rodeia. Para além do dito senhor emproado se achar muito superior a quem lhe veio humildemente pedir uma ajuda, ainda o desprezou de forma vil e vergonhosa, afugentou-o como de um animal sarnento se tratasse (pobre coitado, devia ter medo de ser contagiado pela pobreza! sim, estou a ironizar, como é óbvio!!), repelido e sujeito a uma série de impropérios do género: "Vai trabalhar! Tens bom corpo para isso! Sai daqui, já te avisei!". Para além, destas verbalizações, a expressão corporal ainda tornava a cena mais deprimente! 

Fiquei tão incomodada que não podem imaginar! Por ventura, ele saberá da dificuldade que existe em arranjar um emprego quando se tem pouca ou nenhuma escolaridade e a qualificação profissional é inexistente? Se este individuo for portador de uma doença mental ou estiver adicto a qualquer substância ainda piora a situação! Quem lhe dará emprego ou uma oportunidade? Mas o senhor no cimo da sua altivez, não deve estar ciente da realidade que o rodeia, sempre é mais fácil ignorar do que tomar uma atitude e querer promover a mudança. 

💭
(Um pequeno à parte: Esta época do ano, é propicia a empregos sazonais tais como, a apanha de fruta ou legumes e, o que não faltam por aí, são bandos de criminosos que se aproveitam de quem mais necessita para lucrarem e arrecadarem dividendos da forma mais horrenda que possam imaginar. Numa das saídas de apoio aos sem-abrigo da cidade do Porto, partilharam comigo várias estórias de quem foi enganado e tratado como escravo. Após chegarem ao local de trabalho, eram-lhes retirados todos os documentos e meios de comunicação, passavam dia e noite acorrentados uns aos outros pelos pés e era assim que faziam os trabalhos forçados. Apenas comiam pão, bebiam água e ainda eram diariamente agredidos. Esta é a realidade de quem pouco ou nada tem e que, para ganhar alguns euros, se sujeita a estes trabalhos que não exigem qualquer qualificação, apenas desejo de trabalhar e força física para aguentar o trabalho árduo de sol a sol. Mas há quem tape os olhos ou prefira ignorar o que por demais é evidente!)
💭

Já pensaram no quanto deve custar e ser humilhante para um Ser Humano pedir uma esmola?
O que deve sentir naquele momento, o desespero por ter de o fazer, de se rebaixar perante outro ao pedir-lhe meras "migalhas"?
Por vezes, é demasiado difícil ter a capacidade de se colocar no lugar do outro, não é?!

Regressei ao meu carro e já sentada com as lágrimas nos olhos, disse para comigo em voz alta (se calhar também devo estar a ficar "doidinha da marmita", sim eu falo muitas vezes em voz alta quando estou sozinha!): "Que nunca tenhas de passar por isso, nem eu ou um dos meus familiares ou amigos!" Só tenho pena de não o ter verbalizado perante aquele energúmeno! Fiquei chocada e sem reacção naquele momento. Só quando me sentei no carro é que me "caiu a ficha", só nessa altura é que assimilei tudo. Foi tudo tão rápido e numa questão de segundos que só interiorizei todo o sucedido quando parei e me sentei.

"A vida é uma roda gigante
Girando e girando ela ensina
Um dia você está por baixo e no outro você está por cima"

Nenhum de nós está livre de ficar sem o seu sustento. A vida dá muitas voltas, vejo-a como uma roda gigante, um dia estamos no topo, noutro podemos estar no fundo! Desengane-se quem acha que tem tudo sob controlo, que algo assim jamais lhe poderá suceder! Nesta vida não há intocáveis! 

Antes de agir, devemos pensar um pouco: "E se fosse comigo? Gostaria de ser tratado de que forma? Após ter essa resposta interior, agir consoante a voz do nosso coração!"

Desabafo e partilha feita, só anseio que neste mundo haja mais Amor e Humildade e menos sentimento de superioridade e altivez!

Tudo seria tão diferente se lidássemos com o próximo da mesma forma que gostaríamos de ser tratados! 💞


"Todos imos embarcados na mesma nau, que é a vida, e todos navegamos com o mesmo vento, que é o tempo."   (Padre António Vieira)

Beijos, abraços e até breve!
💜


You Might Also Like

27 comentários

Deixa o teu comentário!
Agradeço a tua visita. <3
Até breve!

Divulgar Blogs

Bloglovin'

Follow

Pinterest

Tumblr